Regra dos Terços na Fotografia

[sc:script ]

Conteúdo


Comece Aqui

Este texto é um aprofundamento do assunto já falado anteriormente, na página Composição na Fotografia. Antes de começar a ler, responda à seguinte pergunta, para ler a Introdução ou a continuação do nosso artigo.

 Você já leu a Introdução à Regra dos Terços na Fotografia, da página Composição? 

 

 NÃO   Clique no título abaixo para ler a Introdução. 
Introdução à Regra dos Terços (como visto em Composição na Fotografia)

Quando um fotógrafo amador pega uma câmera, é quase certo que o objeto principal da foto vai sair centralizado, e elementos importantes vão ser cortados. Para fotos de pessoas, de corpo inteiro, há uma chance muito alta dos rostos saírem no centro, e dos pés serem cortados! Isso acontece porque é instintivo, para quem não tem experiência, apontar a câmera para o centro do objeto (no caso de pessoas, os rostos).

Acontece que existe uma regra básica – que por sinal é uma das mais importantes, senão a mais – que diz que o objeto principal da sua fotografia NÃO deve estar no centro, mas sim em uma posição mais forte, ou mais apelativa visualmente.

Conhecida como regra dos terços, ela funciona da seguinte forma: comece por criar uma grade imaginária na tela da sua câmera, traçando duas linhas horizontais e duas verticais, com distâncias iguais entre elas, como se a sua fotografia fosse dividida em nove partes do mesmo tamanho. Veja os exemplos abaixo:

A partir desta grade, procure posicionar o(s) objeto(s) principal(is) da sua fotografia em uma dessas linhas, ou em um dos quatro pontos de interesse (onde as linhas se encontram).

Um exemplo clássico da regra dos terços é evitar deixar a linha do horizonte no centro da foto. Busque colocá-la sobre umas das linhas dos terços.
  

Usar o princípio da regra dos terços evita que a imagem final fique muito estática, simétrica e o pior: monótona!

 SIM   Continue lendo aqui embaixo. 

Regra dos Terços – Continuação

A Regra dos Terços não é exclusiva da fotografia. Ela é a base da composição desde tempos remotos no desenho e na pintura, e em todas as áreas das artes visuais, como publicidade, design gráfico, cinema e vídeo, por exemplo. A seguir, serão apresentados sua origem e alguns tópicos importantes sobre ela.


A Origem da Regra dos Terços

No século V, o escultor, arquiteto e pintor grego Phidas fez as esculturas do Parthenon usando a Proporção Áurea (ou Proporção Divina), cuja medida aproximada é igual a

1,618…

Este número irracional passou a ser chamado de φ (phi) em sua homenagem. Muitos outros cientistas, artistas, arquitetos, etc, como Leonardo da Vinci, Salvador Dalí, Mondrian e até mais recentemente o arquiteto Le Corbusier, usaram esta proporção para chegar a desenhos e proporções mais harmônicos nas suas pinturas, esculturas, arquitetura, etc. Acredita-se que até as pirâmides de Giza, no Egito, foram construídas usando a Razão Áurea.

E, a partir desta, foi criada a Espiral Áurea, que é uma espiral logarítmica associada às propriedades geométricas do Retângulo Áureo. Sua razão de crescimento é φ. Podemos ver esta espiral em diversas figuras da natureza, como plantas, conchas e até mesmo em galáxias – assim como na arte.

Se quiser ver um passo-a-passo de como a Espiral Áurea é desenhada, clique aqui: Golden Spiral – Wolfram Demonstrations Project by Yu-Sung Chang

Veja abaixo uma animação demonstrando como a Espiral Áurea e a Proporção Áurea são “somadas” para que se chegue à Regra dos Terços.

1- Se sobrepusermos a Espiral Áurea quatro vezes, em todas as direções, temos quatro pontos de interesse (onde cada uma delas se concentra) – e são aqui mostrados em azul.

2- Em seguida, traçamos duas linhas horizontais e duas verticais, demarcando os limites das áreas onde as espirais começam a se concentrar, e esta é a Proporção Áurea (em amarelo). Os quatro pontos de interesse da Proporção Áurea também podem ser chamados de pontos de ouro.

3- A partir dos pontos focais mostrados em azul e amarelo, percebe-se facilmente que a Regra dos Terços é a simplificação da Proporção Áurea e das Espirais Áureas. Perceba que toda a área entre um ponto amarelo, passando pelo vermelho e indo até o azul pode ser considerada uma área de interesse da fotografia, onde se deve tentar posicionar os objetos mais importantes da composição. A Regra dos Terços, enfim, nada mais é do que uma forma mais fácil de “enxergar” esses pontos.


Para sermos práticos…

Trace a grade da Regra dos Terços e a partir daí, tendo em mente onde são os quatro pontos de interesse da fotografia, sabendo-se que é possível avançar um pouco mais para dentro ou um pouco mais para fora dos mesmos. Veja a imagem abaixo, que resume tudo isso:

Observação: a espiral de Fibonacci é bem similar à Espiral Áurea, mas é bom deixar claro que elas não são a mesma coisa. Ambas são frequentemente confundidas justamente pela similaridade entre elas.

Para saber (mais) sobre a diferença entre Espiral de Fibonacci e a Espiral Áurea acesse: Golden Spirals and Fibonacci Spirals (em inglês)


Tópicos Importantes Relacionados à Regra dos Terços


Contrapontos

Quando fotografar dois objetos, observe se eles merecem igual importância na composição, ou se um merece mais destaque que o outro.

Clique na foto de exemplo para ampliá-la e vê-la em duas versões: com e sem grade.

Antes de bater esta foto, foi decidida a seguinte hieraquia: a flor de baixo seria o objeto dominante da imagem, e a de cima seria o subordinado. Assim, a flor de cima foi desfocada, para que a de baixo recebesse mais destaque, e ambas foram posicionadas em dois pontos de interesse opostos.


Linha do Horizonte

Experimente posicionar a linha do horizonte em uma das linhas dos terços, e não no centro.

Clique nas fotos de exemplo para ampliá-las e ler as legendas.


Close-ups de Pessoas e Animais

Quando fotografar pessoas, procure os pontos mais fortes de seus rostos para colocar nos pontos de interesse da fotografia, como os olhos, a boca ou alguma outra parte à qual se queira dar destaque. Isso também serve para close-ups de animais.

Clique nas fotos de exemplo para ampliá-las e ler as legendas.


Fugindo do Centro

Com o objeto principal no centro da fotografia, a imagem tem uma grande chance de ficar monótona, porque os olhos do observador não têm para onde ir depois do ponto focal. Na foto abaixo, observe como a árvore maior (que é o objeto principal) foi posicionada no terço da esquerda. Após olhar a mesma, o observador atravessa todo o restante da composição.


Cores Contrastantes e a Regra dos Terços

Também é possível se aplicar a Regra dos Terços com cores vibrantes e/ou contrastantes que dominem a fotografia.

Clique nas fotos de exemplo para ampliá-las e ler as legendas.


Objetos em Movimento

Quando fotografar uma pessoa, animal ou objeto em movimento, procure criar um “espaço” na foto, na direção para onde ele está indo.

Veja o exemplo abaixo, onde o carro se move da esquerda para a direita. Ele ocupa os dois terços da esquerda da fotografia, sendo que o terço da direita foi deixado como um espaço para ele se mover.

flickr photo by Diego Juliano

Quando é Justificável Não se Usar a Regra dos Terços

Há fotografias com as quais se quer passar a ideia de simetria e estabilidade. Nesses casos, é aconselhável não se usar a Regra dos Terços da maneira mais óbvia – ou nem usá-la, simplesmente. Ter conhecimento desta e de todas as outras regras de composição é importantíssimo – a partir daí, decidimos quando usá-las ou não.

Nos exemplos abaixo, as linhas convergentes e a simetria fez com que escolhêssemos não usar a Regra dos Terços para uma composição mais interessante.

Clique nas fotos de exemplo para ampliá-las.


Recortando Fotos para Adequá-las à Regra dos Terços

Muitas vezes, tendo tanta coisa para pensar na hora de bater uma foto, pode acontecer de esquecermos da Regra dos Terços – ou simplesmente não gostarmos do resultado, mesmo com ela tendo sido aplicada. O que se pode fazer, facilmente, é recortar (cropar) a foto em um programa de pós-processamento de imagens. No Photoshop e no Lightroom, por exemplo, com a ferramenta Recortar (Crop), pode-se ativar a visualização da grade dos terços, para facilitar o seu trabalho.

Clique nas fotos de exemplo para ampliá-las e ler as legendas.


Para Saber Mais sobre a Regra dos Terços


Para Saber Mais sobre Composição na Fotografia

Quer aprender como escolher – e destacar – o objeto principal da sua fotografia, ou como combinar cores? Leia sobre estas e todas as nossas 14 regras de composição em Composição na Fotografia


Publicado por Câmera Neon em 2013-12-27 20:19:40. Última atualização em . [sc:end2 ]

Visitado 16,543 vez(es), 1 visita(s) hoje