DSLR Câmera Digital Single Lens Reflex – Iniciantes

Conteúdo


Introdução

Este artigo é focado para fotógrafos iniciantes ou aqueles que querem saber em detalhe como uma câmera digital DSLR funciona – a partir do momento em que o botão disparador é clicado para fotografar até quando a imagem é captada pelo sensor e gravada na memória.

Este processo será apresentado passo a passo, incluindo a descrição dos movimentos das partes internas da câmera até que a fotografia seja processada. Componentes essenciais serão identificados e nomeados e além disso, mostraremos a definição do que é e o que significa DSLR.

Todos estes tópicos citados são importantes e servem de base para melhor entendimento de muitos de nossos artigos e para aqueles que querem comprar uma câmera reflex digital.

Veja foto ilustrativa de uma DSLR e lentes intercambiáveis a seguir.

cc licensed ( BY ) flickr photo shared by Claudio Matsuoka

Qual o significado de DSLR e SLR

DSLR é um acrônimo em inglês (uma sigla) que resumidamente significa Digital Single Lens Reflex.

  • Digital = câmera digital, portanto esta sigla não se aplica às câmeras analógicas (que podem ser chamadas apenas de SLR).
  • Single Lens = uma única lente montada ao corpo da câmera. Ela pode ser removida e substituída. A câmera não tem uma lente separada apenas para o visor, e por isto o fotógrafo vê exatamente a mesma imagem que vai ser projetada no sensor.
  • Reflex = a câmera tem um espelho móvel e um pentaprisma ou pentaespelho para refletir a imagem projetada através da lente para o visor.

Portanto, a diferença é simples entre DSLR e SLR: SLR se aplica geralmente à câmeras analógicas (de filme), enquanto DSLR é um termo que só pode ser utilizado para câmeras digitais. 


O que é uma câmera DSLR – Componentes internos

DSLR é um tipo de câmera digital, uma classificação recebida por diversas câmeras de muitos fabricantes diferentes devido ao arranjo interno de seus elementos, como demonstrado na figura esquemática a seguir:

Onde:

1 – Diafragma

2 – Espelho

3 – Obturador

4 – Filtro de passagem baixa

5 – Sensor

6 – Despolido (tela despolida)

7 – Pentaprisma ou pentaespelho (depende da câmera*)

8 – Visor analógico

*Câmeras DSLR mais baratas costumam ter um pentaespelho e as mais caras costumam ser servidas com um pentaprisma.

O despolido (item 6 da lista anterior) é uma peça fundamental para o funcionamento da câmera, e apesar disso é desconhecido por muitos fotógrafos. A tela despolida, como também é conhecido, é aonde a imagem que entra pela lente é focada enquanto o espelho está abaixado. Quando olha pelo visor, o fotógrafo vê o reflexo desta imagem.

Uma das características mais relevantes das câmeras DSLR e SLR é permitir a troca de lentes. Por causa disto, estas câmeras adequam-se melhor às necessidades pontuais do fotógrafo, tornando possível a adaptação do mesmo corpo de câmera para fins distintos – como macrofotografia com lentes de macro, ou fotografia de esportes com telefotos por exemplo.

Aprenda mais em: Tipos de Lentes Fotográficas, suas Funções e Aplicações

É importante ressaltar que o encaixe das lentes nos corpos das câmeras DSLR e SLR é por meio de interface específica de cada fabricante. Assim, por exemplo, fica impossível (sem um adaptador) utilizar uma lente da Canon em uma câmera Nikon e vice-versa.

Apesar de câmeras mirrorless também permitirem a troca de lentes, elas não são chamadas de DSLR por não possuírem o espelho interno. Além disso, a maioria das mirrorless não possui outros elementos que todas as DSLR e SLR têm, como visor analógico e pentaprisma/pentaespelho.


Como funciona uma DSLR passo a passo

Podemos dizer que câmeras DSLR têm três modos de operação distintos:

  1. Antes de fotografar, enquanto o fotógrafo olha pelo visor;
  2. Durante a fotografia, logo após o fotógrafo clicar o botão disparador;
  3. Filmagem ou visualização através do visor digital.

Vamos tratar cada modo de operação separadamente, para facilitar o entendimento.


1 – Antes de fotografar

Enquanto o fotógrafo olha pelo visor e ajusta a composição da sua fotografia, a imagem visualizada é aquela que passa por dentro da lente, reflete no espelho e no pentaprisma ou pentaespelho.

Neste momento, o espelho permanece abaixado e a fotometria ocorre no fotômetro existente dentro do corpo da câmera.

Veja animação ilustrativa a seguir:

DSLR, Canon, Nikon, Camera Reflex Digital, Camera, de entrada, SLR, o que é, iniciante, profissional, full frame, como funciona


2 – Durante a fotografia

A animação abaixo demonstra, de forma resumida, como uma câmera Digital Single Lens Reflex (DSLR) funciona quando uma fotografia é tirada.

A grande maioria das DSLR passa por todos os passos do processo descrito a seguir, desde que o botão disparador é clicado até a imagem ser salva no cartão de memória. Tenha em mente que cada câmera reage de uma forma e em seu próprio tempo, e possivelmente com uma sequência ligeiramente diferente.

DSLR, Canon, Nikon, Camera Reflex Digital, Camera, de entrada, SLR, o que é, iniciante, profissional, full frame, como funciona

A – O botão disparador é clicado;

B – A câmera faz a fotometria e ajusta alguns ou todos os parâmetros existentes no triângulo de exposição (nos modos automático e semiautomáticos apenas);

C – O espelho é levantado, deixando a luz passar para o obturador;

D – O diafragma da lente se fecha até alcançar a configuração de f/stop definida pelo fotógrafo (ou pela própria câmera nos modos automático e semiautomáticos);

E* – A cortina do obturador se abre, deixando a luz passar para o sensor;

F* – O sensor começa a captar luz e transformá-la em sinal analógico (eV);

G – O sinal analógico passa por uma conversão digital, para que a imagem seja processada. Os pequenos volts se transformam em strings de dados (1010100110001…);

H – A câmera detecta as cores e compara com 12 ou 18% cinza (dependendo do modelo) e calcula o balanço de branco (quando está configurada em modo de balanço de branco automático) e aplica na imagem;

I – A câmera faz correções de vinheta, redução de ruído e de aberrações cromáticas (depende do modelo e configurações);

J – A fotografia é salva na memória interna da câmera (buffer ou flash), junto com todas as suas informações de metadados e processamento aplicados a ela;

K – A imagem é comprimida e salva em JPEG, Tiff ou RAW (ou qualquer outro formato ou conjunto de formatos configurados na câmera);

L – A imagem é copiada para o cartão de memória, onde fica registrada e acessível para transferência externa.


*Assista em detalhe os passos E e F:


Para um exemplo de passo a passo mais complexo e com informações sem resumos, verifique este link a seguir, com esquemas e informações detalhadas de uma DSLR da Samsung: Digital Single Lens Reflex (DSLR) Camera (em inglês)


3 – Durante filmagem ou visualização através do visor digital

Neste modo de operação, o sensor fica constantemente exposto à luz vinda de fora, que passa através da lente. O diafragma é mantido na posição configurada, o espelho é retido levantado e a cortina do obturador aberta.

E é por isso que, quando a câmera está operando desta forma, nenhuma luz vem da lente para o visor. O espelho fica levantado e além de não refletir a luz que entra pela lente, ainda funciona como barreira da luz que incide pelo visor e reflete no pentaprisma.


Classificações e evolução das DSLR

DSLR podem ser classificadas de diversas formas. Apesar de os fabricantes usarem nomenclaturas diferentes, podemos classificar todas em um dos três tipos a seguir: profissional, semiprofissional e modelo de entrada. Independente de como são chamadas, do material que as compõem e do nível de qualidade de inspeções, todas são invariavelmente classificadas como DSLR desde que tenham o espelho interno e o visor ótico. É importante ressaltar para iniciantes que DSLR não é sinônimo de câmera profissional e que grande parte das DSLR no mercado são modelos de entrada ou semiprofissionais.

Conforme o tempo passa, a evolução da tecnologia é mais facilmente notada: hoje vemos sensores de maior resolução, maior resolução para filmes, menor ruído digital quando trabalhando com sensibilidade ISO alta, introdução de tecnologia de transmissão de dados sem fio, maior capacidade de buffer e processamento mais rápido de imagens, autofoco mais rápido e preciso etc. Podem ser tantos os avanços entre um modelo e outro, que há muitos fotógrafos que acabam trocando o corpo de câmera (por um melhor e mais novo) com muito mais frequência do que compram lentes novas.

Os modelos top de linha da Nikon, por exemplo, costumam ser atualizados a cada 2 a 3 anos, enquanto os da Canon entre 3 a 4 anos.

Novos modelos não incorporam apenas maior tecnologia ou maior poder de processamento. Eles trazem consigo muitas lições aprendidas, consertando coisas que deram errado (como maior probabilidade de sujeira no sensor) e mantendo o design que deu certo em modelos anteriores.


Tamanhos de sensores

Outra possível classificação de câmeras DSLR é de acordo com o tamanho de seus sensores. Enquanto corpos de câmeras DSLR profissionais tendem a ter sensores maiores (tamanho full frame ou de formato médio), as DSLR de entrada e semiprofissionais têm sensores de tamanhos menores, o que reduz seu custo de produção e por isto o preço final de compra fica mais competitivo.

A figura abaixo ilustra os tamanhos de sensores em câmeras DSLR.

DSLR, Canon, Nikon, Camera Reflex Digital, Camera, de entrada, SLR, o que é, iniciante, profissional, full frame, como funciona, tamanhos, sensores, tamanho, sensor

  • Four Thirds: Olympus ou Panasonic
  • APS-C: Nikon DX (23,5×15,6mm) ou Canon (22,2×14,8mm)
  • APS-H: Canon (28,7x19mm)
  • Full Frame (24x36mm)
  • Formato Médio: Mamyia (53,7×40,3mm) ou Hasselblad (53,4×40,0mm)

O tamanho do sensor influencia em aspectos fundamentais da fotografia digital, como ruído, distância hiperfocal, ângulo de visão e distância focal efetiva.


Sony, Canon e o Espelho translúcido

A Sony, diferente de outras grandes fabricantes, tem na sua linha de produtos câmeras que parecem DSLR, mas não são.

Estas câmeras são dotadas com um espelho diferente, que reflete apenas uma pequena parte da luz, deixando a maior parte passar através de si. Este espelho é translúcido e, por isso, a câmera não é conhecida como DSLR, mas sim como DSLT (Digital Sinle Lens Translucent).

Esta tecnologia é chamada pela Sony de Translucent Mirror Technology. Link: Sony – Câmara α99 SLR Digital 35mm (em português)

Por deixar a luz passar através de si, o espelho não precisa ser movimentado durante a fotografia. Isto faz com que o design da câmera possa ser simplificado, e por isto há uma menor vibração durante a tomada de fotografias e um menor gasto de energia. O problema é que este “espelho” é mais um elemento que fica no caminho da luz, o que traz a possibilidade de se reduzir a nitidez da fotografia digital. Além disso, ao refletir parte da luz, consequentemente diminui a iluminação que atinge o sensor, podendo acarretar na necessidade do fotógrafo de alterar fatores do triângulo de exposição para compensar a perda de luz.

Para reduzir este problema, a Canon já desenvolveu trabalhos na área de espelhos com translucência variável. Mas apesar da patente, ainda não são uma realidade para o consumidor final. Link: Image Capture Apparatus with Variable Translucency Mirror (em inglês)


Alguns problemas de câmeras DSLR

As DSLR têm diversas vantagens quando comparadas a câmeras compactas, mas também têm algumas desvantagens. Dentre elas, as piores são:

  • Câmeras DSLR são maiores e mais pesadas do que câmeras compactas e mirrorless;
  • São mais difíceis de transportar e armazenar;
  • São menos discretas não só por seu tamanho, mas também por fazerem mais barulho na hora de fotografar;
  • São mais sucetíveis à entrada de sujeira e ficam com o sensor sujo com mais frequência, requerendo manutenção periódica.

Acesse nosso artigo completo comparando DSLR de entrada e semiprofissionais com câmeras compactas: Diferenças entre uma Câmera Compacta e uma Semiprofissional


Lista de fabricantes de câmeras DSLR e o futuro destas câmeras

Em ordem alfabética, a lista a seguir mostra os maiores fabricantes de câmera DSLR no mercado internacional. Os três maiores são japoneses e estão marcados com um *. Nikon e Canon são as marcas que efetivamente dominam o mercado de câmeras DSLR e Mirrorless.

  • Canon*
  • Fujifilm
  • Leika
  • Mamiya
  • Nikon*
  • Pentax
  • Sigma
  • Sony*

Esta lista está em constante modificação (redução) e, com o passar do tempo, existe uma clara tendência já seguida pela Olympus de sair deste mercado de DSLR e buscar inovações e vendas em câmeras Mirrorless. Em 2013 a Olympus parou a fabricação de sua linha DSLR e hoje os seus modelos top de linha são mirrorless.

Esta tendência foi observada no mercado também pela Samsung, cujos últimos lançamentos são de mirrorless e vem retirando câmeras do mercado na Grã-Bretanha desde 2015. Leia mais aqui: Samsung Quits UK Camera Market (em inglês)


Publicado por Câmera Neon em 2017-02-15 21:40:22. Última atualização em . Câmera Neon

Visitado 1,901 vez(es), 1 visita(s) hoje