GPS na Fotografia

[sc:script ]

Conteúdo


Introdução – Significado GPS

GPS é a sigla para Global Positioning System – em português significa Sistema de Posicionamento Global.

Os aparelhos de GPS, que já se tornaram itens populares para o consumidor brasileiro, não ajudam apenas os motoristas a se acharem no trânsito. Fotógrafos amadores e profissionais podem economizar muito tempo ao utilizarem aparelhos de GPS em suas câmeras, tanto durante as sessões de fotos quanto após, durante a organização das imagens digitais.

Quando instalado na câmera, o GPS adiciona metadados de coordenadas geográficas (localização) às fotografias digitais e estes dados podem ser usados para visualizar a foto em um mapa, por exemplo. Este processo de adicionar coordenadas geográficas à imagem é conhecido como georreferenciamento.

Vale ressaltar que ao instalar um GPS na câmera, ele não vai transformar a mesma em um guia de ruas… Isso não te ajudará a encontrar o seu caminho!

Além de armazenar dados de latitude e longitude nas fotografias, algumas unidades de GPS também adicionam informações de altitude e outras até mostram a posição do Norte. Com isso, quem está vendo a fotografia vai saber o ponto de onde ela foi tirada e também para que lado o a câmera estava virada.

GPS; Picasa; georreferenciamento; fotos; fotografia
Print screen da tela do Picasa, mostrando como fotografias georreferenciadas podem ser colocadas automaticamente em um mapa. Os balões vermelhos indicam a posição onde as fotos foram tiradas (O mesmo funciona também no Adobe Lightroom).


Exemplos de uso

Para fotógrafos de viagens, usar o GPS em seus passeios e viagens fotográficas serve para manter um registro do ponto exato de onde cada foto foi tirada. Com isso, não há necessidade de ficar tomando notas e adicionando-as aos metadados da fotografia manualmente – informações preciosas do local e a hora em que as fotografias foram clicadas estarão disponíveis automaticamente.

Tantas vezes já nos pegamos olhando algumas fotos antigas e nos perguntando “Que prédio é este?”, “Aonde ficava este restaurante?”, ou “Qual era o nome daquela rua?”… Com a tecnologia disponível de mapas online e uma unidade de GPS na câmera, estas informações estarão disponíveis e gravadas nos metadados das suas fotos digitais.

Se estiver pensando em vender algumas fotos através de uma agência de fotografia stock, dados de georreferenciamento nas fotografias poderão ser um diferencial, já que muitas destas agências requerem que informações como nome da cidade e país (no mínimo) sejam adicionados aos metadados da fotografia. Os compradores de fotos querem saber aonde e quando a foto foi tirada e se o fotógrafo não for suficientemente organizado, vender as suas fotos pode ficar mais difícil.

O georreferenciamento pode automaticamente agregar valor a fotografias. Daqui a muitos anos, quando alguém precisar saber aonde exatamente a fotografia foi tirada, para, digamos, comparar como a cidade mudou, a pessoa não vai ficar dependendo de notas escritas pelo fotógrafo e vai poder ver em mapas online a localização exata de onde a fotografia foi tirada.

mapa, georreferenciamento, GPS

Outro uso notável para o GPS no georreferenciamento de fotos é em viagens de campo de geólogos, geógrafos e também arquitetos e urbanistas – dentre outros. Ao coletar e fotografar amostras de rochas e fotografar ruas e prédios eles precisam registrar com exatidão onde a foto foi tirada e por isso dependem de GPS e muitas anotações. Com fotos georreferenciadas automaticamente, suas viagens de campo se tornam mais produtivas.

Muitos outros usos podem ser dados para unidades de GPS em câmeras, e isto só depende da necessidade e criatividade de quem as está utilizando.


Câmeras com GPS integrado

Diversas câmeras compactas já vêm com uma unidade de GPS embutida, mas não muitas DSLRs (Reflex) vêm com esta tecnologia. As DSLRs, apesar de mais caras, parecem ter ficado um pouco para trás e ainda são muito poucas as câmeras que oferecem uma unidade de GPS embutida de fábrica e opção de georreferenciamento automático de fotografias.

  • Canon EOS 6D
  • Canon EOS 6D7D Mark II
  • Canon EOS 1D X Mark II
  • Nikon D5300
  • Sony Alpha SLT-A55V (Single Lens Translucent – não é SLR)
  • Sony Alpha SLT-A65 (Single Lens Translucent – não é SLR)
  • Sony Alpha SLT-A99 (Single Lens Translucent – não é SLR)
  • Leica S

Alternativas

Para aqueles que não têm uma câmera com unidade de GPS instalada de fábrica e não estão pensando em trocar de câmera tão cedo, existe a opção de gravar o caminho percorrido utilizando smartphones e, depois integrar às fotografias de forma manual ou semiautomática (usando o Lightroom). Existe ainda a possibilidade de utilizar acessórios externos para georreferenciar fotos automaticamente.


1- Unidades de GPS externas

Cada fabricante tem uma lista de unidades de GPS externos que funcionam com as suas câmeras. Assim, não adianta comprar uma unidade da Nikon e esperar que ela funcione em uma câmera Canon ou Sony.


Sony

A Sony utiliza a seguinte unidade de GPS compatível com algumas de suas câmeras:

Sony CS3KA GPS Unit

Diferentemente das unidades que se conectam diretamente com a câmera e salvam a informação na foto assim que a fotografia é tirada, a da Sony requer que o usuário insira o cartão de memória no aparelhinho e só então as coordenadas geográficas serão inseridas na imagem digital.

O funcionamento é simples e requer que o fotógrafo leve a unidade de GPS consigo, ligada, enquanto estiver fotografando. O relógio e data da câmera têm que estar sincronizados com o do GPS. Então, após diversas fotos, ao voltar para casa, o fotógrafo insere o cartão de memória no GPS e insere as coordenadas exatas de onde o aparelho estava quando a foto foi tirada.

Então, se o relógio da câmera ou do GPS estiverem dessincronizados, as fotos aparecerão georreferenciadas erroneamente.

Apesar de ter uma telinha de cristal líquido, este GPS não funciona como um GPS de rua e não vai te ajudar a se localizar.


Nikon

A Nikon tem uma estratégia mais conservadora que a da Sony e vende uma unidade de GPS que encaixa na própria câmera e faz o georreferenciamento das imagens no momento em que são tiradas.

Assim, não importa se o relógio da máquina está incorreto, as coordenadas inseridas nas fotos serão aquelas que o GPS inseriu no momento da foto.

Nikon Unidade GPS GP-1A

Compatível com diversas câmeras da Nikon (apenas), mas fabricado pela Opteka, esta unidade de GPS externa é uma opção aos modelos (mais caros) fabricados pela Nikon:

Opteka GPN-1

Opteka; GPS; georreferenciamento; fotos;

Outra opção para quem tem Nikon e um iPhone é utilizar o telefone celular da Apple como GPS. Uma empresa japonesa desenvolveu um aplicativo para o telefone se conectar à câmera e transmitir as coordenadas geográficas para as fotos no momento em que são tiradas.

ZestyAccessory™

Na verdade, a empresa vende apenas o cabo para conexão do iPhone na câmera. O aplicativo em si é grátis.

O interessante desta opção é que o iPhone pode servir também como intervalômetro e prover dados exatos da hora local. Ainda por cima, permite ao fotógrafo conferir a hora do pôr e do nascer do sol (horas de ótima luminosidade natural, quando as cores estão mais saturadas) antes de sair para fotografar.


Canon

A Canon, assim como a Nikon, produz receptores GPS que devem ser acoplados à câmera e fazem o georreferenciamento das fotos no momento em que são tiradas.

Canon GP-E2 GPS Unit
Canon GP-E1 GPS Unit – para a EOS 1D-X


2- Cartão de Memória Wi-fi – ALERTA

O cartão Eye-Fi costumava ser capaz de adicionar coordenadas geográficas às fotos tiradas enquanto ele estivesse conectado a uma rede wireless. Este cartão de memória utilizava o serviço de posicionamento da rede wi-fi automaticamente, uma ideia bem interessante. Contudo, seu fabricante parou a sua produção e não dá mais suporte a quem já comprou o produto. Portanto, se você vir este cartão à venda: NÃO O COMPRE!

eye-fi, georreferenciamento, GPS
cc licensed ( BY ) flickr photo shared by Meiya Omuni


Limitações do GPS

Assim como os GPS de carros, a maioria das unidades instaladas em câmeras fotográficas requerem conexão com satélites orbitando a Terra. Por isso, estas unidades funcionam mal (ou simplesmente não funcionam) próximos a prédios altos, em ambientes fechados ou em locais encobertos por vegetação muito densa. Nesses casos, a precisão das coordenadas geográficas pode ser reduzida devido à dificuldade de conexão com satélites.

Como experiência própria podemos dizer que em alguns lugares a conexão com satélites é relativamente demorada, e em casos extremos pode levar uns 5 minutos para adquirir sinal suficiente para georreferenciar fotos. Para evitar esse problema, ligue o GPS da câmera um pouco antes de começar a tirar fotos e deixe-o ligado em intervalos curtos quando não estiver fotografando.

Outra dica é ligar o GPS e deixá-lo conectar com satélites antes de embarcar em um trem ou carro. Esta primeira conexão e localização de satélites geralmente é mais rápida se o GPS não estiver dentro de um carro, ônibus, trem (…) em movimento.


Unidades de GPS em câmeras também têm seu lado negativo

1- Para começar, o GPS precisa consumir bateria para funcionar. É fato que o seu consumo de energia é relativamente pequeno, mas não tem como negar que a bateria vai esvaziar um pouco mais rápido. Contudo, geralmente, o consumo de bateria por conta do GPS é baixo e não afeta muito a durabilidade da bateria.

2- Obviamente, ter mais um item na câmera vai deixá-la mais pesada. Se estiver disposto a carregar mais alguns gramas na bolsa, isso não será um problema. Apenas como referência: unidades externas de GPS da Nikon pesam em torno de 20 gramas.

3- O maior dos problemas ao utilizar unidades de GPS externas instaladas na câmera: O GPS adiciona um volume extra ao equipamento fotográfico. Apesar de serem relativamente pequenas, as unidades de GPS são instaladas em posições que requerem um manejo mais cuidadoso da câmera. Estando em cima ou na lateral, sempre temos que tomar um cuidado extra ao retirar e colocar a câmera de dentro da bolsa. Além disso, dependendo do modelo, se o aparelho de GPS fica ligado à câmera por um fio, manusear a máquina fica menos natural, tem que se tomar cuidado para não puxar o fio sem querer. Os fios são frágeis e podem apresentar mau contato depois de poucos usos – dependendo do quão cuidadoso é o manuseio.

4- Algumas unidades externas encaixam exatamente na sapata aonde um flash externo encaixaria. Isso pode vir a ser um fator limitante em algumas situações, já que o fotógrafo terá que escolher entre ter um flash instalado ou o GPS externo.

Vale ressaltar que os itens 3 e 4 não afetam fotógrafos que utilizam câmeras com GPS integrado ou unidades externas de GPS wireless (sem cabo).

Nikon; câmera; câmera fotográfica; Opteka; GPS; georreferenciamento
GPS externo Opteka instalado em uma câmera Nikon


Publicado por Câmera Neon em 2013-06-14 23:43:10. Última atualização em . [sc:end2 ]

Visitado 19,904 vez(es), 2 visita(s) hoje