Bonaire Beaches, por Marco Di Gianvito

[sc:script ]Bonaire Beaches, por Marco Di GianvitoMarco Di Gianvito é um fotógrafo italiano que se mudou para Bonaire, no Caribe, depois de visitar a ilha a turismo. Conversamos com ele para conhecer um pouco mais sobre seu trabalho.


CameraNeon: Das suas fotografias de praia/mar, qual a sua favorita? É alguma com tempo de exposição mais longo, mostrando o movimento, ou alguma de um momento congelado (exposição mais curta)?

Marco Di Gianvito: Eu gosto de ver algo acontecendo nas minhas fotografias, um elemento dinâmico – o mar neste caso. Congelar este movimento não iria ajudar neste sentido, por isto trabalho com exposições longas, e é claro que com um tripé! Todas as 6 fotos que estão ilustrando esta entrevista são as minhas favoritas, eu não sei escolher uma.


Qual a importância do movimento em suas fotografias de praia?

A razão pela qual fotografo praias é a presença do mar, pois a água se move bastante, senão não teria graça para mim. Falo isto porque não acho tão interessante fotografar locais onde a água não se move muito, como em um lago ou um rio parado. Quando viajo para as montanhas, procuro cachoeiras e corredeiras.



Pôr-do-sol, nascer do sol, meio dia, hora azul ou noite – qual a sua hora favorita para fotografar a praia?

Sem dúvida, pôr-do-sol e crepúsculo. Primeiro porque eu sinto como se tudo à minha volta estivesse diminuindo o ritmo, tem menos barulho e eu tenho tempo o suficiente de me concentrar. Não tenho pressa, fico tranquilo. A qualidade e a intensidade da luz são o que preciso para produzir o dinamismo que quero ver em minhas fotos. Além disso, eu não gosto de acordar cedo, então o nascer do sol não é para mim!


Na sua opinião, qual o maior desafio de fotografar na praia?

A praia é certamente um ambiente hostil para o equipamento fotográfico. Areia e jatos de água salgada, especialmente combinados com o vento, podem danificar sua câmera e lentes. Quando necessário, eu uso uma proteção para a câmera. Muitas vezes preciso colocar metade do tripé imerso dentro d’água, tudo para conseguir a fotografia que estou planejando. Com a experiência, você se acostuma a olhar o visor da câmera e ao mesmo tempo, prestar atenção nas ondas que estão por vir. Ficar atento ao som das ondas também ajuda… Inclusive, com o tempo, você aprende a conhecer a frequência das ondas, e aí você passa a saber a hora de fotografar e a hora de correr!



Agora sobre você: Por que Bonaire? O que te levou para este lugar?

Eu e minha esposa viemos de férias para Bonaire em 2007. Nós gostamos da ilha porque ela é mais selvagem, e não muito desenvolvida. Tem vento, tem windsurf, e um aeroporto internacional, que nos permite viajar com facilidade. Então pensamos: “Por que não?”


Quais as suas 3 praias favoritas em Bonaire?

Sweet Dreams Beach, Pink Beach e a costa sudeste, que é a parte com as ondas mais fortes.


Marco Di Gianvito

Nascido e criado em Roma, Itália. Entrei para o mundo da fotografia quando tinha 15 anos, graças a uma antiga Mamiya/Sekor 35mm presenteada pelo meu tio e que me deixou encantado. Fotografar era meu segundo trabalho na Itália, e eu fazia principalmente fotografia de rua, de viagem e fotojornalismo. Também ajudava amigos em fotografia comercial e de casamentos. Quando nos mudamos para Bonaire, as praias me atraíram, e agora quadros, pôsteres e postais de minhas fotografias de praia são vendidos online e na feira local de artistas, que funciona quando navios de cruzeiro visitam a ilha. Quando estou viajando, ainda busco fotografar as ruas e as pessoas. Também procuro fazer um projeto de fotografia documental a cada viagem que faço.

Para ver mais sobre Marco, visite:

e-mail: activeyephoto@gmail.com
website: activeyephoto.com
twitter: @activeyephoto


Todas as fotografias foram tiradas por Marco Di Gianvito e publicadas neste artigo com o seu consentimento.


Publicado por Câmera Neon em 2015-04-21 18:33:32. Última atualização em . [sc:end2 ]

Visitado 671 vez(es), 1 visita(s) hoje