Distância Hiperfocal na Fotografia

Conteúdo


Introdução – O que é distância hiperfocal

Entender o conceito de distância hiperfocal é muito importante para quem gosta de fotografar paisagens e deseja manter a cena completa em foco, incluindo elementos perto e longe da câmera (estes são tratados como infinito).

Uma das definições de distância hiperfocal é:

Quando a lente estiver focada no infinito, a distância hiperfocal é a distância entre o sensor da câmera e o ponto (plano) em foco mais próximo.

Isto significa que quando a lente for focada no infinito, a profundidade de campo se estenderá da distância hiperfocal até o infinito e portanto, qualquer elemento situado entre a distância hiperfocal e o infinito sairá em foco na fotografia.

O fotógrafo de paisagens quer, geralmente, diminuir a distância hiperfocal. Assim, um maior número de elementos sairá com foco aceitável em sua imagem.

Ao diminuir a distância hiperfocal, o ponto de foco aceitável mais próximo da câmera será aproximado.

Veja o vídeo abaixo para facilitar a compreensão do assunto:

Os valores de distância hiperfocal são baseados em uma lente de 50mm (começando com f/1.8) instalada em uma câmera de sensor full frame.

Após entender a definição de distância hiperfocal (H), é importante ter em mente que quando a lente estiver focada nesta distância (H), qualquer objeto situado entre a câmera e a metade da distância hiperfocal (H/2) ficará sem nitidez.

Isto significa que quando a lente estiver focada na distância hiperfocal, qualquer objeto enquadrado na foto mais longe da câmera do que a metade da distância hiperfocal deverá sair nítido na foto.

Observe que essa regra geral de H/2 é apenas válida para quando a câmera estiver focada na distância hiperfocal. Se a câmera estiver focada no infinito, o ponto/plano de nitidez aceitável mais próximo da câmera estará exatamente na distância hiperfocal (H). Portanto, focar exatamente na distância hiperfocal maximiza a profundidade de campo.


O que influencia a distância hiperfocal

Diversos fatores na configuração da fotografia modificam a distância hiperfocal, dentre eles a abertura do diafragma e a distância focal (mais óbvios) e o círculo de confusão (mais difícil de entender).


a) f/stop (abertura do diafragma)

Ao ter assistido o vídeo acima, deve ter ficado mais claro que quanto maior o f/stop (isto significa menor abertura do diafragma), menor é a distância hiperfocal. E quanto mais aberto o diafragma da lente, maior a distância hiperfocal será.

Mas calma, não pare de ler agora para sair por aí tirando fotos com o maior f/stop que a sua lente te permitir.

Como explicado nos artigos de círculo de confusão e de difração, aberturas muito pequenas do diafragma levam a uma perda considerável de nitidez da fotografia. E é por isso que grande parte dos fotógrafos seguem uma regra geral ao tirar fotos de paisagem e tendem a não usar f/stops muito altos.


b) Distância focal (zoom)

A relação entre distância focal e distância hiperfocal é direta. Ou seja, quanto maior for a distância focal (zoom), maior será a distância hiperfocal.

A cargo de exemplo, lentes grandes angulares apresentarão distâncias hiperfocais menores do que lentes de superzoom.


c) Círculo de confusão

Quanto maior o círculo de confusão aceitável, isto é, quanto menor a nitidez aceitável para que a cena seja considerada em foco, mais próxima será a distância hiperfocal.

O fato é que quando o infinito está em foco, e quanto mais próximo da câmera o objeto estiver, mais desfocado este objeto ficará. Só que existe um limite em que o olho humano consegue identificar o desfoque (ou falta de nitidez) e antes deste ponto, o cérebro humano vai interpretar a fotografia como se o objeto estivesse perfeitamente em foco.

Assim, se a nitidez necessária for alta, isto significa que o círculo de confusão aceitável será menor e a distância hiperfocal estará mais longe da câmera.

E, quando a nitidez necessária for mais baixa, o círculo de confusão poderá ser maior e por isso, a distância hiperfocal estará mais próxima da câmera.

O tamanho do círculo de confusão está diretamente relacionado ao tamanho do sensor da câmera. Quanto maior o sensor da câmera, maior será o círculo de confusão aceitável.

Assim, geralmente, os valores tabelados de círculo de confusão já levam em consideração o fator de corte (crop factor) do sensor.


Paisagens e paisagens

Nem todas as paisagens requerem que a lente seja focada na distância hiperfocal. Então, cabe ao fotógrafo interpretar para que elementos da sua composição ele quer dar mais nitidez.

Um bom exemplo de paisagem em que a distância hiperfocal provavelmente não seria a melhor escolha de foco é num cenário de praia/pedras com o mar aparecendo no fundo como o da foto a seguir. Isso porque quem estiver vendo esta foto não estará interessado em ver os mínimos detalhes nas ilhas que estão extremamente ao fundo, mas sim a nitidez no plano frontal.

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal; paisagem; paisagens; Búzios; Armação dos Búzios; praia; beach; Geribá;

Canto direito da Praia de Geribá, Búzios, Brasil
Distância focal: 27mm (18mm x Fator de corte de 1.5x)
f/stop: f/6.3
ISO: 100
Tempo de exposição: 1/200s
CdC Nikon D3100 = 0,020
Tripé: Não

 

Neste caso, se o fotógrafo tivesse focado no infinito ou buscado a distância hiperfocal, as ilhas ao fundo teriam foco, enquanto boa parte do plano frontal, como as pedras à direita (com muita ênfase neste enquadramento), ficariam sem nitidez aceitável.

Enquanto isso, a próxima foto mostra o exemplo de elementos a uma distância próxima, média e longínqua da câmera que requerem nitidez. Este é um caso perfeito para a utilização da distância hiperfocal.

Nesta foto, um f/stop maior é desejável e, se o enquadramento permitir, uma distância focal menor também. Com isso, a distância hiperfocal será maximizada e todos os elementos na foto estarão com foco aceitável.

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal; paisagem; paisagens; Búzios; Armação dos Búzios; praia; beach; Praia da Tartaruga;

Praia da Tartaruga, Búzios, Brasil
Distância focal: 27mm (18mm x Fator de corte de 1.5x)
f/stop: f/11
ISO: 100
Tempo de exposição: 1/125s
CdC Nikon D3100 = 0,020
Tripé: Não
Distância hiperfocal aproximada: 1,5m

 

Outros exemplos de paisagens são as que requerem foco apenas no infinito – são paisagens que contêm apenas elementos situados bem longe da câmera (nenhum objeto no plano frontal ou intermediário).

O exemplo da fotografia a seguir é de um ponto de vista acima da cidade, no qual o objeto mais próximo enquadrado está relativamente longe da câmera.

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal;

Vista do Top of The Rock Observation Deck, Nova Iorque
flickr photo by Diego Juliano
Distância focal: 40mm
f/stop: f/4
ISO: 400
CdC Nikon D800 (câmera full frame) = 0,030
Tripé: Não (câmera apoiada apenas)
Distância hiperfocal aproximada: 13,3m

 

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal; paisagem; paisagens; La Defense; Paris; skyscraper; construção; construction; arquitetura; architecture;

La Défense, Paris, França
Topo de arranha-céu em construção a aproximadamente 80m de distância da câmera.
Distância focal: 129mm (86mm x fator de corte de 1.5x)
f/stop: f/5.6
ISO: 100
Tempo de exposição: 1/400s
CdC Nikon D3100 = 0,020
Tripé: Não
Distância hiperfocal aproximada: 66m

 

Nestes 2 últimos exemplos não haveria necessidade de se diminuir a distância hiperfocal (já que os únicos elementos na foto estão muito distantes da câmera), então o fotógrafo poderia utilizar f/stop menores, buscando a maior nitidez possível do objeto no infinito (e reduzindo ao máximo o problema causado pela difração).


Como calcular a distância hiperfocal

Sem querer entrar em muitos detalhes de fórmulas e de onde as fórmulas são derivadas, a equação utilizada para calcular a distância hiperfocal não é das mais complexas:

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal

Onde:

H é a distância hiperfocal (m)

f é a distância focal (mm)

N é o valor da abertura do diafragma [f/stop] (adimensional)

c é o valor do círculo de confusão (mm)

O importante de se entender com esta equação são as relações entre os termos:

  • Quanto maior a distância focal, maior é a distância hiperfocal;
  • Quanto maior a abertura do diafragma (menor f/stop), maior é a distância hiperfocal;
  • Quanto maior o círculo de confusão, menor é a distância hiperfocal.

Exemplo

Para simplificar o entendimento de como aplicar esta fórmula, cabe um exemplo rápido:

Serão utilizadas uma câmera full frame (DSLR equivalente a 35mm) e uma lente de 35mm com abertura de f/4.

Um valor usual de círculo de confusão para câmeras full frame é de 0,030mm.

Substituindo os dados na fórmula:

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal

Temos que a distância hiperfocal é de 10,2m.

Para simplificar a vida de quem está querendo aprender mais sobre o assunto, desenvolvemos um arquivo de Excel que calcula automaticamente a distância hiperfocal, dados os valores para f/stop, distância focal e círculo de confusão.

A seguir está o link para download gratuito da Calculadora de Distância Hiperfocal, totalmente em português:

Calculadora Distância Hiperfocal


Marcações nas lentes

Nem todas as lentes possuem marcações de profundidade de campo impressas, mas as que possuem podem auxiliar o fotógrafo a conferir a distância hiperfocal sem ter que olhar em tabelas ou calculá-la.

No exemplo a seguir, a lente primária de 50mm está focada no infinito e com a abertura em f/22. Se uma foto fosse tirada com esta configuração, a distância hiperfocal estaria um pouco acima de 3m (aproximadamente 4m).

Ou seja, ao se fotografar uma paisagem, objetos entre 4m e o infinito estariam em foco.

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal; Nikkor; Nikon; câmera; câmera fotográfica; lente; 50mm; fotografia; Foto;

Estas marcações de profundidade de campo levam em conta que a lente estaria montada em uma câmera full frame. Se esta lente for montada em uma câmera com sensor menor do que full frame, as marcações indicadas nela iriam ter que ser corrigidas pelo fotógrafo.

 

Ainda com a lente configurada para uma abertura de f/22, para maximizar a distância hiperfocal, o fotógrafo pode optar por girar o barril de foco até que a marca de 22 se encontre com o símbolo de infinito.

Assim, a profundidade de campo se estenderá desde o infinito até a segunda marcação de 22 (entre 1.5m e 3m).

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal; Nikkor; Nikon; câmera; câmera fotográfica; lente; 50mm; fotografia; Foto;

Antes de girar o barril de foco com a lente encaixada na câmera, verifique se a posição de foco manual está selecionada.

Colocando em prática

A seguir, será detalhado um tutorial passo-a-passo de como aplicar os cálculos e aprendizados sobre distância hiperfocal.


Passo 1:

Primeiramente, ao identificar a melhor composição para a sua foto, analise se ela contém elementos no plano frontal e no plano de fundo (infinito) que requerem nitidez.

Se este for o caso, prossiga para o passo 2.


Passo 2:

Faça o enquadramento da cena e verifique qual foi a melhor distância focal que você encontrou para a sua composição.

Sabendo a distância focal, avance para o passo 3.


Passo 3:

Calcule a distância hiperfocal para a sua cena (ou utilize a calculadora em Excel [Calculadora Distância Hiperfocal Simples] ou, ainda, uma das tabelas disponibilizadas aqui [Tabelas de Distância Hiperfocal]), utilizando valores médios para a abertura do diafragma.

Evite aberturas muito pequenas, para evitar a difração.

Para cenas de paisagens, costumo utilizar f/11 e obter resultados bem satisfatórios – às vezes uso f/13. Se eu estiver sem um tripé em um local menos iluminado, terei a tendência de procurar usar o f/8, para reduzir o tempo de exposição e tentar minimizar o desfoque da cena, caso a minha mão trema ou balance.

Vamos a um exemplo com a cena abaixo:

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal; paisagem; paisagens; Egito; Egypt; esfinge; Avenida das Esfinges; esfinges; Avenue of Sphinxes; Sphinx Avenue; Luxor;

Avenida das Esfinges, Luxor, Egito
Distância focal: 42mm (28mm x fator de corte de 1.5x – Nikon DX)
f/stop: f/8
ISO: 100
Tempo de exposição: 1/250s
CdC Nikon D3100 = 0,020
Tripé: Não

 

Sabendo que um círculo de confusão razoável para o meu equipamento (Nikon DX) é em torno de 0,020mm, calculamos a distância hiperfocal:

distância hiperfocal; f/stop; círculo de confusão; distância focal


Passo 4:

Sabendo a distância hiperfocal, deve-se entender se algum elemento no enquadramento estará tão próximo da câmera que ficará fora de foco.

No exemplo acima, como a distância hiperfocal é de 4,9m, qualquer elemento mais próximo da câmera do que 2,45m (metade da distância hiperfocal) ficaria sem nitidez.

Lembre-se que quando a lente está focada na distância hiperfocal (H), todos os elementos posicionados entre a metade da distância hiperfocal (H/2) e infinito estarão em foco.

Como a esfinge mais próxima estava a aproximadamente 2,5m ou mais da câmera, eu fiquei satisfeito com a abertura de f/8.


Passo 5:

Tendo confirmado que todos os elementos da cena estarão com uma nitidez ótima, foque a sua câmera em algum objeto que esteja situado muito próximo da distância hiperfocal.

No caso do exemplo, eu utilizei a segunda esfinge (+-5m) para focar a câmera.


Passo 6:

Tire a foto!


Passo 7:

Esse é um extra que faço em quase todas as fotografias que tiro. Sempre que tenho tempo, eu confiro a foto na tela da máquina dando zoom máximo em diversos pontos da cena, só para confirmar que a nitidez desejada foi alcançada.

Se a foto não saiu como o esperado, eu identifico o porquê e tento novamente.


Lista de sites externos relacionados


Publicado por Câmera Neon em 08/Julho/2013. Última atualização em . Câmera Neon

Visitado 17,455 vez(es), 1 visita(s) hoje