Distorção Radial em Fotografias

[sc:script ]

Distorção Radial em Fotografias

Conteúdo


Introdução

Em muitas das vezes que fotografamos, nosso objetivo é retratar a cena de forma realista, ou seja, como aparece para os nossos olhos. Só que não existe uma lente perfeita. Todas as lentes distorcem as fotografias que tiramos, umas mais e outras menos, fazendo com que o resultado final fique sempre diferente do que enxergamos na realidade.

Identificar distorções às vezes requer um olho treinado. Algumas fotos não têm linhas verticais ou horizontais aparentes e por isso, fica difícil de perceber o quanto uma foto está distorcida.

De certa forma, o nosso cérebro faz com que inconscientemente gostemos mais de fotos sem distorção (pois é assim que vemos o mundo real). Então, por isso, vale a pena entender como lentes diferentes se comportam e o que fazer para deixar as composições fotográficas com um aspecto mais natural.


Definição simples

A distorção pode ser entendida como um esticamento não uniforme da fotografia, em que o centro e as bordas estão magnificados de forma diferente.


Tipos de distorção radial

As distorções radiais causadas por lentes podem ser classificadas em três tipos: barril, almofada e complexa, que serão explicados a seguir. Em todos os casos, a distorção é mais pronunciada nos cantos da fotografia. Isto ocorre devido à construção das lentes e ao alinhamento dos seus elementos internos.


1 – Barril

A distorção tipo barril é geralmente associada às lentes grande angulares e é identificada pelo centro da fotografia estar mais magnificado do que as suas bordas.
011401-


2 – Almofada

A distorção tipo almofada geralmente é associada às lentes telefoto e é identificada pelas bordas da fotografia estarem mais magnificadas do que o seu centro.
011402-


Comparação das distorções tipo barril X tipo almofada

Clique nas imagens abaixo para vê-las ampliadas, comparando estes dois tipos de distorção.


3 – Complexa

A distorção complexa é uma mistura entre a distorção tipo barril e a tipo almofada. A parte central da fotografia apresenta características de distorção tipo barril enquanto as extremidades tendem a a exibir a imagem com distorção tipo almofada.
011405-


Quando a distorção radial atrapalha

Há quem diga que a distorção atrapalha sempre, mas em alguns casos ela adiciona um efeito artístico à fotografia. Como exemplo, os dois casos mais marcantes em que fotos distorcidas se destacam negativamente são em retratos e fotografias de arquitetura.

Ao fotografar uma pessoa, seus traços podem ficar fortemente alterados.

No caso de edifícios ou casas, as linhas retas ficam pronunciadamente tortas.


Distorção em lentes de zoom

Na hora de projetar uma lente, os fabricantes consideram com cuidado o arranjo e o possível movimento dos elementos internos (e muitos outros detalhes) para minimizar qualquer distorção. Contudo, é impossível fazer um design que diminua a distorção para todas as distâncias focais.

Por isso, lentes de zoom podem ter um comportamento híbrido, em que dependendo da distância focal, a fotografia produzida pode apresentar distorções mais ou menos acentuadas do tipo barril e tipo almofada.

Regra geral: Quanto maior o poder de zoom da lente, é de se esperar que mais acentuada será a distorção apresentada nas suas fotografias. Veja o gráfico ilustrativo abaixo.
011406-

Isto nos leva a concluir que, quando falamos de distorção, as lentes primárias levam vantagem por terem menos elementos móveis e, portanto, tendem a apresentar menor distorção.


Distorção em lentes primárias

Apesar de terem menos elementos móveis, estas lentes mesmo assim não são perfeitas e suas imagens também apresentam distorções radiais. Contudo, a distorção causada pelas lentes primárias é, geralmente, de menor intensidade (quando comparadas à lentes de zoom).

Como notado, as lentes primárias também têm elementos móveis para possibilitar o foco em objetos que estão a distâncias variáveis da câmera. Estes elementos móveis são uma das causas que não permitem eliminar por completo a distorção causada em imagens.

A distorção varia de acordo com o ponto focal (estando mais próximo ou mais longe da câmera).

Lentes que produzem baixa distorção radial são chamadas de lentes retilíneas. Este termo é mais utilizado para lentes grande angulares.

As lentes primárias tipo olho de peixe são um exemplo de exceção à regra e produzem distorção significativa em fotografias. Veja o item a seguir.


Distorção em lentes olho de peixe

A maioria das lentes tipo olho de peixe permite fotografias com ângulos de visão de 180 graus. Devido ao seu arranjo interno (para, em alguns modelos, possibilitar ângulos de visão até mesmo superiores a 180 graus), fotografias produzidas com estas lentes apresentam distorções tipo barril notáveis.

Lentes tipo olho de peixe não mantêm o aspécto retilíneo que uma imagem real teria e são classificadas como curvilíneas.

Assista o vídeo abaixo para ver como a linha do horizonte é distorcida por uma lente olho de peixe AF Fisheye-NIKKOR 16mm f/2.8D


Removendo distorção radial de fotografias

A maioria dos softwares de pós-processamento de imagens permite o ajuste e a remoção completa de distorção radial de fotografias.

Alguns softwares, como por exemplo Photoshop, Lightroom e DxOLabs Optics Pro dão ao usuário a opção de fazer isto de forma automática. Estes softwares têm informações do comportamento (distorção) de diversas lentes em seus bancos de dados e levam em conta tanto a distância focal da lente quanto a posição do foco (mais longe ou perto da câmera) para a correção automática.

Outros softwares como GIMP (software grátis de manipulação de imagens) permitem que o usuário remova (ou pelo menos tente remover) manualmente a distorção de suas fotos.

Assista o vídeo a seguir demonstrando como remover a distorção na fotografia utilizando o Lightroom e também o Photoshop.


Publicado por Câmera Neon em 2014-04-27 03:10:03. Última atualização em . [sc:end2 ]

Visitado 7,535 vez(es), 1 visita(s) hoje