Cuidados com a câmera -temperatura baixa e alta

[sc:script ]Conteúdo


Introdução

Cuidados-com-a-câmera-temperaturas-extremas-

Em nossas viagens, muitas vezes nos deparamos com lugares cujo clima é um pouco diferente do que estamos acostumados. Mas e quando escolhemos viajar para lugares de climas muito diferentes, como alguns que são extremamente frios ou extremamente quentes? Será que podemos pegar nossa câmera e sair fotografando como fazemos quando as temperaturas são “normais”?

Se você respondeu “não”, acertou! Não podemos usar nossa câmera normalmente – temos que tomar certas precauções para garantir o bom funcionamento da mesma. É por isso que escrevemos este artigo – para mostrar como cuidar do nosso equipamento fotográfico nesses extremos de temperaturas, e quando eles funcionam bem ou não.

O que acontece é que, para começar, os fabricantes de câmeras e lentes fotográficas colocam limites, muitas vezes bem conservadores, para a operação dos mesmos – isto com o objetivo de garantir o funcionamento normal de seus produtos. Geralmente os limites de temperatura são entre 0 e 40 graus Celsius. Consulte o manual do seu equipamento para saber valores exatos.

É bom notar que isso não necessariamente significa que você estará impossibilitado de fotografar em temperaturas inferiores a 0 graus ou superiores a 40 graus, porém, a verdade é que se a sua câmera não funcionar nesses casos, você não pode culpar o fabricante.

Vamos falar agora de cada extremo de temperatura – baixa e alta.


Viajando e fotografando em lugares frios (temperaturas baixas)

Neve e frio… É tão bonito ver a neve! Mas nossas câmeras não gostam muito do frio e do inverno extremo. Por isto, é bom se preparar antes de sair para fotografar no tempo frio – antes de tudo, não se esqueça de se agasalhar.

E agora vamos ao equipamento fotográfico e o que levar para viajar no frio: é bom ter em mãos alguns itens além da sua câmera. Veja as dicas a seguir.

  • Leve baterias extras, pois a bateria descarrega mais rápido no frio do que no calor. Para mantê-las aquecidas, guarde-as nos bolsos junto ao corpo, e quando precisar delas, elas não terão perdido carga.
  • Use luvas próprias para fotografia, que oferecem a opção de descobrir o polegar e indicador, para que você não tenha dificuldade de operar a câmera. Se sua câmera tiver tela sensível ao toque, use uma luva com pontas condutoras.
  • Guarde as lentes e equipamento que não for usar o tempo todo em uma bolsa ou mochila que sejam bem isolados (para que o frio não passe).
  • Leve também um plástico com zíper para colocar a câmera dentro quando for mudar de temperatura (vamos explicar melhor mais adiante).

Quando estiver em um ambiente de frio extremo, tente manter a câmera junto ao seu corpo, dentro do seu casaco, onde ela pode ficar mais aquecida. Tire-a rapidamente para bater fotos e logo coloque-a de volta.

Em temperaturas muito baixas, a câmera pode apresentar um comportamento um pouco diferente do normal. Veja a seguir algumas coisas que podem acontecer quando a temperatura está muito baixa:

  • O obturador e as lâminas do diafragma podem agarrar ou se mover mais lentamente porque o óleo que os lubrifica fica mais viscoso (grosso);
  • A tela de visualização pode ter funcionamento alterado de acordo com a temperatura, podendo ficar lenta, ou escura, ou variar o brilho.
  • Algumas funções da câmera podem ficar mais lentas, como as velocidades de captura de quadros (em modo de disparo contínuo) e a velocidade de visualização dos pontos de autofoco (dentre outros);
  • A bateria da câmera pode ser capaz de tirar um número menor de fotos, como já falado anteriormente.

Tenha em mente que essas alterações não significam que a câmera esteja com algum problema – ao voltar para um ambiente de temperatura ideal, a câmera deve voltar a funcionar de forma normal.

Veja as seguintes dicas para o momento em que for fotografar:

  • O fotômetro da sua câmera objetiva o cinza médio e por isso o branco da neve pode ficar cinza na sua fotografia. Lembre-se de compensar a exposição para isso. Leia mais aqui: Cinza 18% – Cinza médio ou neutro na fotografia
  • Use um para-sol para proteger a lente da neve caindo e para evitar flare (reflexos indesejados). Como a neve reflete a luz do sol, o chão branco age com um refletor gigante e torna possível a formação do flare.
  • Por causa dos ângulos baixos do sol (os mesmos que causam o frio), a qualidade da luz é geralmente superior ao longo do dia, e as sombras são mais longas, o que pode adicionar interesse às suas fotos. Não se esqueça de configurar o Balanço de Branco de acordo com a presença ou não de nuvens e do sol.
  • Com muita neve caindo, evite usar a câmera DSLR. Se ainda assim você quiser fotografar, aconselhamos usar uma bolsa à prova d’água (daquelas usadas para mergulho e snorkel), ou em último caso, embrulhe a câmera em uma sacola plástica. Use um filtro para prender o plástico na lente.

Após trabalhar em temperaturas muito baixas, quando for para um lugar aquecido, o gelo ou neve acumulados no seu equipamento fotográfico derretem. Para evitar que a câmera e lentes fiquem molhadas, remova bem a neve e o gelo antes de entrar em locais aquecidos.

Geralmente, em locais aquecidos artificialmente (ar condicionado), a umidade é baixa. Mas se por algum motivo, o ambiente for úmido (como uma estufa para plantas), a sua câmera e lente geladas vão condensar a umidade e o seu equipamento vai ficar todo molhado.

Para entender melhor esta situação, pense naquele dia quente que você pega uma garrafa cheia de água gelada para beber e deixa na mesa – rapidamente a garrafa fica cheia de gotinhas de água por fora dela, que condensam pelo contato do ar úmido do ambiente com a garrafa gelada. Imagine agora a sua câmera e lentes – ao trazê-las para dentro, a umidade do ambiente pode condensar nas superfícies geladas da câmera. O equipamento úmido por fora já é uma situação ruim – e pode ficar ainda pior se a umidade se infiltrar para dentro da câmera e lente…

Ou seja, mudanças bruscas de temperatura, como as que ocorrem quando você passa para um ambiente mais quente e úmido após sair de um ambiente frio, podem causar condensação.

Em vários lugares do Brasil, é muito comum sair de um ambiente frio com ar condicionado para uma área aberta, quente e úmida. Neste caso, a câmera e as lentes geladas também condensam a umidade do ar.

Para evitar que isto aconteça, coloque seu equipamento dentro de uma sacola plástica com zíper (e bastante ar dentro, ao redor do seu equipamento) antes de movê-lo para uma área de temperatura muito diferente da que estava antes. O ar ao redor da câmera vai esquentar mais lentamente, e a câmera também, enquando a umidade condensa na parte externa do saco plástico e a câmera continua seca. Veja a foto abaixo.

Não tem uma sacola plástica? Uma mochila ou bolsa podem ajudar também, mas não são ideais.

Outra coisa importante é fazer a câmera se esquentar aos poucos e evitar com isso mudanças bruscas de temperatura. Quando trouxer a câmera para dentro, deixe-a num lugar menos aquecido da casa, como um ambiente de transição – por exemplo no parapeito da janela, ou na varanda. Depois de algumas horas, traga a câmera para dentro.


Viajando e fotografando em lugares quentes e expondo a câmera ao calor (temperaturas altas)

Não está muito interessado em viajar para lugares frios? Prefere o verão? Vamos à praia então! Ou se você não gosta de praia, que tal uma cidade bem quente no Oriente Médio, por exemplo – incluindo alguma visita a um deserto? Viajar para lugares quentes também exige cuidados com sua câmera e equipamento fotográfico. Vamos às dicas.

Não deixe o seu equipamento em nenhum lugar onde será exposto a altas temperaturas, como por exemplo dentro de um carro fechado no estacionamento ou diretamente debaixo de sol forte por longos períodos.

Para fotografar, prefira ficar na sombra. Quando não for possível, use um guarda-chuva ou um pano que ajudem a proteger seu equipamento fotográfico do sol e calor extremo.

Alguns elementos sensíveis ao calor são o sensor da câmera e a tela de visualização. Não se preocupe muito pois qualquer alteração que ocorra com ambos é temporária e tudo geralmente volta ao normal quando a câmera esfria novamente.

  • Em altas temperaturas, as imagens podem ficar mais granuladas.
  • Se o sensor ficar muito quente, as cores da fotografia podem ser gravadas de uma forma um pouco alterada.
  • A tela de visualização pode ter funcionamento alterado de acordo com a temperatura, podendo ficar lenta, ou escura, ou variar o brilho.

Um dos elementos mais sensíveis ao calor são os selos de materiais macios. Em casos muito extremos de exposição prolongada ou repetida/frequente, os selos podem sofrer deformações permanentes e assim deixam de selar o corpo da sua câmera/lente contra poeira, chuva, etc.


Cuidados com baterias em temperaturas extremas

Carregue as baterias em áreas internas, em temperaturas de 5°C a 35°C. O tempo de funcionamento da bateria pode ser reduzido e o tempo de carregá-la pode ser ampliado quando em temperaturas de 0°C a 15°C e de 45°C a 60°C. Abaixo de 0°C ou acima de 60°C as baterias não são capazes de serem carregadas.

Evite usar a bateria quando a temperatura ambiente estiver abaixo de 0°C ou acima de 40°C, pois existe o risco da mesma ser danificada ou ter sua performance reduzida.

Observação: estes valores de temperaturas são aproximados. Para valores exatos, consulte o manual da sua câmera.


Cuidados com cartões de memória

Não deixe o cartão de memória exposto à luz do sol e nem perto de fontes de calor. Não guarde o mesmo em locais quentes, úmidos ou sujeitos à poeira.


Publicado por Câmera Neon em 2015-06-15 13:16:07. Última atualização em . [sc:end2 ]

Visitado 5,120 vez(es), 1 visita(s) hoje