Fotografia analógica -Filme fotográfico colorido e P&B

fotografia-analogica-filme-fotografico-colorido-e-peb-1
flickr photo shared by Jason Rogers – changes made: added text and watermark

Conteúdo


Introdução

Este artigo tem por objetivo apresentar os conceitos básicos do filme fotográfico, incluindo seus componentes e características. Explicamos o que acontece quimicamente quando a luz chega ao filme (como funciona).

Ao longo do texto, abordamos também aspectos de filmes coloridos e preto e branco, efeitos em filmes antigos vencidos, sensibilidade ISO, granulação e formatos mais comuns, como o 35mm e 120.

Não é a nossa intenção falar sobre marcas de filmes e nem de produtos relacionados à fotografia analógica, apenas conceitos básicos e informações relevantes independentes de fabricantes.

 NOTA IMPORTANTE: Mesmo para quem está interessado apenas em fotografia digital, é interessante ler sobre conceitos da fotografia analógica, pois ajuda a entender melhor sobre a arte da fotografia como um todo. 


Composição do filme fotográfico

O filme fotográfico tem dois componentes básicos:

  • Uma base plástica;
  • Uma ou mais camadas de emulsão sensível à luz.

A emulsão reveste a base plástica e é composta por cristais de sais de prata, sensíveis à luz. Estes cristais, chamados quimicamente de haletos ou halogenetos de prata, ficam suspensos em uma fina camada de gelatina.

Para captar as cores e não apenas a iluminação, os filmes coloridos têm mais camadas de emulsão do que os filmes preto e branco.


Como funciona o filme fotográfico

Quando expostos à luz, os cristais de sal mudam de estrutura da seguinte forma:

  • Quando a luz atinge um cristal, ele se junta a outros que também foram atingidos pela luz, formando um agrupamento microscópico.
  • Quando mais luz atinge um trecho da emulsão, um grupo maior de cristais é formado.
  • Quando menos luz atinge um trecho da emulsão, um grupo menor de cristais se forma.
  • Quando nenhuma luz atinge um trecho da emulsão, nenhum cristal se agrupa.

Então, a variedade de intensidade da luz que atinge o filme e o tempo de exposição se refletem no número de cristais que mudam de estrutura e se agrupam em cada trecho microscópico do filme.

Com o filme sendo exposto à luz, temos a formação da imagem latente, que é uma imagem ainda invisível. Para converter a imagem latente em uma visível, o filme deve passar pelo processo de revelação.


Revelação do filme – O negativo

A revelação faz aparecer a imagem que foi gravada pelos cristais de sal.

Quando revelamos um filme, os cristais de sais com a estrutura alterada reagem quimicamente para formar uma imagem – a imagem negativa. Os cristais que não tinham sido atingidos pela luz – e por isto não tinham sua estrutura alterada – são “lavados”, deixando claras ou transparentes as áreas onde eles estavam.

O resultado desse processo é uma imagem negativa, que é escura onde o filme foi exposto à luz, clara onde o filme foi pouco exposto à luz, e limpa (vazia) onde o filme não foi exposto pela luz.

Este é o processo básico do filme – tanto preto e branco quanto colorido.


Características do filme – Colorido ou preto e branco

Tanto o filme preto e branco quanto o colorido se diferenciam em três itens importantes: sensibilidade à luz, contraste e granulação. É importante conhecer os efeitos desses três itens na hora de decidir qual filme comprar.

Em geral, a sensibilidade à luz, ou seja, o ISO do filme, vai interferir no contraste e na granulação da fotografia, mas também a marca ou o modelo do filme também podem ser decisivos para estes efeitos.

Além destes três fatores, outro importante é o tamanho do filme. Suas dimensões afetam não apenas a compatibilidade com as câmeras analógicas, mas também outros detalhes técnicos como a distância hiperfocal, a profundidade de campo e o ângulo de visão.

Veja a seguir um pouco sobre cada característica.


a) Sensibilidade à luz (antes ASA, hoje ISO)

Os filmes podem ter diferentes sensibilidades à luz.

Os filmes mais sensíveis à luz, também conhecidos por filmes rápidos, precisam de menos luz para que seus cristais de sal sejam agrupados e a imagem seja gravada. Já os filmes lentos precisam de mais luz para que seus cristais de sal sejam agrupados.

Os termos “rápido” e “lento” nada têm a ver com movimento, e sim com a reação dos cristais de sal ao serem expostos à luz.

A rapidez do filme é medida por uma escala chamada de ISO (antigamente ASA). O filme ISO 200, por exemplo, é duas vezes mais rápido que o 100, ou seja, é duas vezes mais sensível à luz. A graduação mais comum de ISO para filmes fotográficos é ISO 32, 50, 64, 100, 125, 160, 200, 400, 800, 1600 e 3200.

fotografia-analogica-filme-fotografico-colorido-e-peb-iso-2


b) Contraste

filme fotográfico; fotografia; analógico; 35; 120; como funciona; vencido; asa; iso; negativo; antigo; validade;

O contraste de um filme é diretamente relacionado ao tamanho dos grãos da emulsão.

Grãos menores são mais uniformes e por isto tendem a se organizar melhor quando expostos à luz, sendo possível assim que sejam formados, na emulsão, um negro e uma transparência mais densos – que serão o preto e o branco da fotografia revelada. Em outras palavras: ISO baixo = grãos menores = maior contraste

Grãos maiores não se organizam tão uniformemente na emulsão no momento da exposição do filme à luz, por isto as fotografias terão mais tons médios e menos tons pretos e brancos – ou seja, menor contraste. Em outras palavras: ISO alto = grãos maiores = menor contraste

Veja a imagem ilustrativa. Os filmes de alto contraste, além dos tons médios, têm tons mais próximos do branco e do preto absolutos. Já as fotografias feitas por filmes de baixo contraste têm uma transição entre tons mais suave por não ter o preto e o branco.

Em geral, filmes lentos (ISOs menores) têm mais contraste do que filmes rápidos (ISOs maiores).


c) Granulação

Alguns filmes tendem a ser mais granulados que outros. Em geral, quanto mais um filme é sensível à luz (ou maior o ISO), maiores serão os grãos dos sais de prata que o compõem, e maior será a granulação visível na fotografia revelada.

A imagem granulada tem menor nitidez, definição e detalhe.

A granulação da fotografia analógica pode ser relacionada ao ruído na fotografia digital.


d) Tamanho e formato – Dimensões de filmes

Assim como modelos diferentes de câmeras digitais têm sensores de tamanhos diversos, os filmes fotográficos também podem ter tamanhos variados. O tamanho do filme determina a sua compatibilidade com uma câmera analógica – por exemplo, um filme 35mm não cabe/funciona em uma câmera de formato médio.

O filme mais comum (popular) encontrado à venda é o 35mm, também conhecido pelo código 135. Suas dimensões são equivalentes às do sensor digital de uma câmera full frame = 36×24mm.

Um outro formato popular e relativamente fácil de encontrar para compra é o 120. Este é um filme de médio formato, com 60mm de altura. A largura da fotografia depende da câmera sendo utilizada (mas de qualquer forma a fotografia é gravada em uma área maior do que a do filme 35mm).

Outros filmes menos comuns e mais raros no mercado brasileiro são os 110, 126 e 127.

Para mais tamanhos (históricos) de filmes, veja uma lista neste site: http://www.earlyphotography.co.uk/site/sfs.html


Filmes antigos vencidos – Com data de expiração passada

Por conta de suas constituições químicas básicas (base + emulsões) todos os filmes fotográficos têm validade.

Com o passar do tempo, a base do filme pode se tornar frágil e quebradiça, enquanto as camadas de emulsão podem ficar menos reagentes rendendo fotografias de menor contraste. A sensibilidade diminui, a saturação também, e a granulação original pode ser alterada consideravelmente. Os cristais de sal podem ter reagido por conta de radiações externas criando manchas e tonalidades diferentes etc etc etc.

A exposição ao calor durante o armazenamento do filme acelera ainda mais este processo de envelhecimento e filmes de ISO maior tendem a decair (perder suas características originais) mais rapidamente.

Filmes coloridos tendem a serem mais afetados pelo envelhecimento do que filmes preto e branco.

Em um filme antigo, as reações químicas desencadeadas pelo contato com a luz ocorrem de forma diferente de um filme novo.

Ainda assim, é possível usar um filme vencido e o resultado, após a revelação, é inesperado. Como não dá para saber o que vai acontecer, adiciona-se assim um elemento surpresa à composição do fotógrafo. Fotografar com filme vencido é uma arte imprevisível.


Publicado por Câmera Neon em 2016-11-06 23:09:43. Última atualização em . Câmera Neon

Visitado 6,417 vez(es), 12 visita(s) hoje