O que é Microstock – Imagens, Agências e Dicas

Conteúdo


Introdução

Microstock é um termo que nasceu junto com um modelo de negócios que abalou a indústria fotográfica em torno do ano 2000. Até aquele momento, fotografias stock eram gerenciadas por algumas agências que dominavam o mercado, com fotógrafos e fotos bem selecionados. O alto custo de manter tal estrutura e recursos era, então, repassado aos clientes, e a raridade das fotografias também tinha seu (alto) preço.

Com a popularização da fotografia digital, dada pelo barateamento das câmeras digitais e pela melhoria significativa na qualidade das fotografias, as imagens digitais passaram a tomar páginas de revistas e jornais sem ficarem pixelizadas ou posterizadas. Nesta época, o número de fotógrafos hobbystas, amadores e mesmo profissionais cresceu exponencialmente. O conteúdo criado por estes fotógrafos tem seu valor. Bilhões de fotografias não devem simplesmente permanecer em HDs como recordação – tem muita gente e muitas empresas dispostos a pagar para utilizá-las.

O modelo de venda utilizado pelas agências de fotografia microstock surgiu para cobrir o abismo entre fotografias profissionais editadas, curadas e relativamente caras e o consumidor que não está disposto a pagar tanto para ter fotos de qualidade.


O que é microstock – Definição

Micro = muito pequeno (refere-se ao custo da foto para quem quer comprar o direito de uso de suas cópias)

Stock = estoque (refere-se às imagens/mídia que estão em estoque, prontas para uso)

Microstock é um termo utilizado para denominar agências de fotografia que vendem direitos de uso de imagens em grandes volumes a preços unitários relativamente baixos. Fotografias vendidas por estas agências também podem ser classificadas como fotografias de microstock.

É praticamente como um modelo de negócio de fotografia stock convencional: o cliente compra o direito de uso de uma imagem através de um intermediário (agência), que administra o banco de imagens e repassa um percentual da venda para o fotógrafo. Mas em microstock, ao invés de receber dezenas de dólares por imagem vendida, a agência e o fotógrafo podem receber apenas alguns centavos ou poucos dólares. Contudo, é esperado que seu volume de vendas seja mais alto do que o de agências stock convencionais, balanceando, assim, o montante total vendido em um dado período.

O modelo de contrato segue majoritariamente o tipo Royalty Free: sem limitações significativas para a quantidade de cópias que podem ser feitas ou restrições de meios de veiculação.

→ Clique aqui para aprender mais sobre Royalty Free.


Ganhar dinheiro com microstock – Expectativa

Antes de começar a ganhar dinheiro com microstock é preciso ser aceito como fotógrafo contribuidor de uma ou mais agências. Os processos de aceitação não costumam ser complicados e envolvem o envio de cópias de algumas imagens para análise, link de portfólio e preenchimento de fichas cadastrais. Apesar de soar fácil, requerem algumas horas para leitura de contrato e estudo de regras, inclusive daquelas que dizem respeito a que imagens podem ser vendidas comercialmente ou apenas para uso editorial. 

Como contribuidor, é possível ganhar dinheiro com fotografia stock, mas ganhar muito dinheiro com microstock ou mesmo o mínimo para sobreviver apenas de venda de imagens em microstock é muito difícil e requer bastante dedicação. Parte considerável dos contribuidores de microstock o fazem como complemento de renda, para tirar “um extra” no fim do mês e sem perspectiva de fazerem o seu primeiro milhão desta forma.

Um atrativo de virar um fotógrafo stock é poder contar com uma renda passiva gerada a partir de suas fotografias que são administradas pela agência. Mesmo que esta renda seja pequena, é interessante pensar o quanto ela pode acumular no seu bolso a longo prazo, e isto é melhor do que deixar as suas fotos digitais guardadas a sete chaves em um HD, sem gerar nenhum dinheiro. 

É possível contribuir para mais de uma agência e até mesmo ter portfólios com imagens iguais em agências microstock diferentes – a não ser que você aceite algum contrato de ser um contribuidor exclusivo de determinada agência. Algumas agências de microstock oferecem a oportunidade de seus contribuidores se tornarem exclusivos a troco de um percentual maior a cada venda.

Não há uma receita de bolo definido se vale a pena ou não virar contribuidor exclusivo de determinada agência. Esta é uma questão de tentativa e erro. Só mesmo experimentando para saber se o percentual maior realmente vai refletir em uma receita/lucro maior e se vale a pena. Antes de se tornar contribuidor exclusivo, tenha certeza que você atende a todos os requerimentos necessários, que podem incluir remoção de fotos publicadas em sites como Flickr, Instagram e obviamente de outras agências stock/microstock.


Preço baixo e como vender mais

Os preços baixos das fotografias de microstock podem não ser sinônimo de muitas vendas. Em um banco de imagem com milhões de fotografias, se nas suas imagens faltar qualidade técnica, o cliente comprador vai provavelmente escolher uma outra imagem competidora da sua.

O mesmo vale se as suas imagens não tiverem boas palavras-chave.

Outra dica para quem quer lucrar mais com microstock é ter em mente que autorizações de modelo (model releases) são documentos imprescindíveis quando aparecem pessoas reconhecíveis em suas fotos, para que as imagens possam ser vendidas de forma comercial.

Em resumo, não basta ter um portfólio extenso. Tem que ter um portfólio extenso com boa qualidade e palavras-chave relevantes. Além disso, tem que gerenciar bem os documentos de autorização.


Título, palavras-chave e descrição

Uma grande diferença entre fotografia de microstock e stock convencional é que a agência stock convencional costuma assumir as responsabilidades editoriais de selecionar fotos e de gerenciar suas palavras-chave, títulos e descrições, deixando para o fotógrafo apenas o trabalho de fotografar, pós-processar e enviar os arquivos para a agência.

Para reduzir custos e garantir a fluidez no processo de análise de milhares de fotografias recebidas diariamente, as agências de microstock optaram por passar as responsabilidades de gerenciar títulos, descrições e palavras-chave para os próprios fotógrafos contribuidores.


Lista de sites de 7 agências microstock para vender e comprar imagens

Para uma lista mais completa, com diversos sites de agências microstock menores e com menor alcance de mercado, visite: List of Microstock Sites – by Rating (em inglês)

Todos os sites que listamos acima estão baseados fora do Brasil, mas vale ressaltar que isto não é um impeditivo para que fotógrafos brasileiros contribuam e recebam pagamentos por suas vendas internacionais.


Além de fotos – Vídeos e ilustrações

Diversas agências de microstock aceitam também submissão de vídeos e de ilustrações.

Conforme a internet e a transmissão de dados online fica mais rápida e a capacidade de armazenamento de HDs aumenta, vídeos passaram a ser muito requisitados e, online, vêm substituindo um mercado/uso que era dominado por fotografias.

Então, como contribuidor, vale considerar trabalhar não apenas com fotografias, mas também com vídeos.


Publicado por Câmera Neon em 2017-07-13 16:06:14. Última atualização em . Câmera Neon

Visitado 1,161 vez(es), 1 visita(s) hoje