Sensor sujo DSLR – Sujeira na câmera digital

Sujeiras no sensor são muito comuns em câmeras DSLR – acredite, ficar com o sensor sujo é muito comum e, neste artigo, ensinamos como saber se o sensor está sujo.

Com a metotodologia deste artigo, fica mais fácil também saber se a sujeira está na lente da câmera, para então tomar providências.

Sensor sujo; DSLR; Sujeira; câmera digital

Diversos fabricantes tiveram que revisar os projetos de engenharia de suas câmeras para evitar ou no mínimo reduzir este problema.

Nota importante: Ao longo deste artigo nos referimos ao termo “sensor sujo” diversas vezes, mas há determinados modelos de câmeras cujo sensor é coberto por um filtro de passagem baixa (low-pass filter).

Nestas câmeras, não é o sensor que fica sujo, mas sim a superfície deste filtro de passagem baixa.

Este artigo serve para todas as câmeras da mesma forma, pois não importa se a sujeira está no sensor ou no filtro – o efeito nas fotografias é o mesmo.

 


Conteúdo


Tutorial passo-a-passo – Como saber se o sensor da câmera digital está sujo

A seguir, vamos mostrar um tutorial passo-a-passo de como saber se o sensor da câmera está sujo. Siga a sequência e faça o teste com a sua câmera.

1. Selecione o modo manual da câmera.

2. Configure o diafragma da lente para ficar na posição mais fechada (maior f/stop).

Para algumas lentes, será f/22, para outras f/32…

3. Ache uma parede branca ou um papel branco de tamanho mínimo A4/ofício – eles devem ser limpos e lisos, sem manchas, texturas, nem sombras.

4. Enquadre a parede/papel e ajuste o tempo de exposição da câmera para que o fotômetro fique no ponto 0 (centralizado).

É importante que a fotografia não fique sobreexposta, pois se isto acontecer, alguns pontos de sujeira podem ficar mascarados pelo excesso de iluminação.

5. Tire uma foto da parede (ou papel) – pode ser em JPEG ou RAW. Tome cuidado para você não criar sombras na fotografia.

6. Abra a foto no computador – use o Lightroom, Photoshop ou Gimp.

7. Aumente a claridade/nitidez/foco e o contraste da foto ao máximo – clique para instruções em cada programa:

LightroomPhotoshopGimp
No modo Revelação (Develop), deslize as barras de Claridade (Clarity) e de Contraste para a direita.
Clique em Filtros > Nitidez > Máscara de nitidez (Filters > Sharpen > Unsharp mask) e deslize os sliders até a foto ficar bem nítida.

Clique em Imagem > Ajustes > Brilho/contraste (Image > Adjustments > Brightness/Contrast) e deslize a barra de contraste para a direita.

Clique em Filtros > Realçar > Máscara de desaguçar (Filters > Enhance > Unsharp mask) e deslize os sliders até a foto ficar bem nítida.

Clique em Ferramentas > Ferramentas de cor > Brilho-Contraste (Tools > Color Tools > Brightness-Contrast) e deslize a barra de contraste para a direita.

Tente também aumentar os Brancos (Whites) ao máximo e diminuir os Pretos (Blacks) ao máximo para ver se ajuda a enxergar mais marcas de sujeira.

8. Dê zoom até que a foto fique em 100% e procure cuidadosamente por pontos pretos ou manchas. Se você vir algum (e tiver certeza de que não é uma sujeira da parede/papel), o seu sensor provavelmente está sujo.

9. Se quiser ter certeza de que a mancha/sujeira não é da parede, tire mais uma foto de outra parte da mesma (ou do papel).

10. Recomendamos que você refaça este teste com outra lente na câmera, para ter certeza de que a sujeira não é da lente.

Se você só tiver uma lente, certifique-se de que a que você está usando esteja limpa. Se ela estiver suja na parte interna (a que fica mais perto do sensor), existe a possibilidade desta sujeira aparecer no seu teste.

Caso o teste com duas lentes diferentes mostre as mesmas manchas/pontos, no mesmo lugar, pode ter certeza de que o sensor da sua câmera está sujo.


Sensor sujo – sujeira seca ou molhada

As sujeiras que ficam agarradas no sensor podem ser classificadas como secas ou molhadas. Sujeiras secas comuns são poeira, pelos e cabelos. Mas o problema mais comum é com as sujeiras molhadas: são gotículas de óleo que vêm do próprio obturador da câmera.

Algumas câmeras (principalmente nos modelos D600 e D800 da Nikon e nos EOS-1D Mark III e EOS-1Ds Mark III da Canon, entre muitas outras) apresentam um problema crônico de óleo lubrificante (ou poeira, como reportado oficialmente pela Nikon) sujando o sensor com certa frequência, e requerem limpeza especializada de vez em quando.

O problema de óleo sujando o sensor é mais comum no início da operação da câmera digital e vai reduzindo conforme a câmera é usada (mas não é garantido que vá parar).

Os nossos testes e experiência são com uma Nikon D800 e todas as fotos neste artigo foram tiradas por este modelo de câmera DSLR.

O exemplo abaixo é de uma fotografia com abertura f/11 em que gotículas de óleo ficam muito aparentes contra o céu azul. Veja diversos pontos pretos/cinzas no céu e alguns no mar, além de uma mancha à esquerda no céu, bem no alto, perto das nuvens. Compare a foto base, editada sem que os pontos de sujeira fossem retirados, e a seguinte, em que se aumentou excessivamente o contraste e a claridade no Lightroom para que os pontos/manchas ficassem em maior evidência. Note que após ver a segunda foto, quando você voltar para a primeira, você vai conseguir perceber mais sujeiras.


Como o sensor fica sujo?

A maior causa para o sensor ficar sujo são as partes móveis internas dentro da câmera (obturador, espelho e seus subcomponentes) se movendo em alta velocidade e respingando óleo ou jogando poeira na direção do sensor no momento em que batemos a fotografia.

Outra causa é a entrada de sujeira para dentro do corpo da câmera quando trocamos ou desacoplamos a lente da máquina fotográfica.

O que é importante de se entender aqui é que mesmo que você só use uma lente e nunca a retire da câmera, ainda existe uma grande possibilidade de que o sensor fique sujo devido aos mecanismos internos móveis da câmera.

A lógica é simples: se a câmera não tivesse peças móveis internamente, ela não precisaria de óleo lubrificante para operar; e então o sensor não ficaria sujo com tanta facilidade.


Como a sujeira no sensor influencia nas suas fotos – escondendo os pontos

O sensor sujo degrada a qualidade e a resolução de uma fotografia digital em pontos específicos. Em casos muito extremos, a sujeira no sensor pode arruinar a sua fotografia completamente.

Como mostrado em exemplos ao longo deste artigo, a foto fica com pontos escuros.

Estes pontos aparecem porque a sujeira bloqueia a passagem da luz e, com isso, os pixels encobertos não são expostos à luminosidade quando o obturador da câmera está aberto.

Se você der sorte, algumas manchas de sujeira no sensor podem ser camufladas por elementos na composição da fotografia.

Caso você saiba a localização destas manchas, você pode tomar uma atitude ao invés de contar com a sorte: simplesmente planeje compor os elementos da fotografia de forma que essas manchas sejam propositalmente camufladas.

Veja a foto abaixo e observe como as manchas são disfarçadas por estarem na frente do mar. A foto da direita mostra as manchas marcadas.

Em alguns casos, é impossível esconder a sujeira, a não ser que ela seja retirada no pós-processamento da imagem.

Veja o exemplo abaixo mostrando duas versões da mesma foto. Compare a foto com e a sem manchas.

A foto da esquerda teve os pontos de óleo removidos um a um no Lightroom (usando a ferramenta Remoção de manchas/Spot removal).

A foto à direita não teve as manchas removidas, e teve claridade, contraste e pretos aumentados excessivamente, apenas para fazer com que as manchas fiquem em evidência.

A outra saída é, enquanto o sensor estiver sujo, dar preferência a fotografar com f/stops mais baixos. 

Mas ambas as alternativas são muito limitadoras e é melhor limpar logo o sensor.


Relação entre f/stop e aparecimento de manchas sujas nas fotos

Com f/stops mais baixos (maiores aberturas do diafragma da lente), às vezes a sujeira no sensor é imperceptível a olho nu.

A sujeira no sensor fica mais fácil de se notar quando um f/stop mais alto (diafragma mais fechado) é usado para fotografar.

Veja as fotos abaixo. A da esquerda foi tirada com f/11, e por isto é possível vermos algumas manchas no céu (onde não tem nuvens). Já a da direita, por causa do f/4, teve as manchas disfarçadas.

Geralmente gotículas de óleo e partículas de poeira ficam mais visíveis a olho nu a partir de f/8.

Porém isto não é uma regra – elas podem ficar visíveis com f/stops menores quando as manchas são maiores ou existem em grande quantidade.


Sensor sujo e time-lapse

Uma das piores experiências que alguém pode ter por causa de sensor sujo é ao fazer um filme de time-lapse ou hiperlapse.

Como a sujeira aparece em um ponto fixo da tela, ela acaba chamando muito a atenção quando todo o resto das imagens está se movendo.

Pode dar até a impressão que tem um inseto pousado na tela.

Corrigir uma foto para eliminar a sujeira pode ser um trabalho demorado – agora imagine ter que corrigir milhares de fotos antes de fazer um filme?


Limpeza do sensor – Como limpar o sensor

Neste artigo nós não cobrimos limpeza do sensor em detalhe. Mas damos dicas de como limpar o sensor.

Nosso conselho principal é não deixar passar muito tempo sem limpar o sensor da sua câmera depois de perceber que ele está sujo.

Isto porque se a sujeira for óleo, com o passar do tempo as gotículas vão ficando mais agarradas na superfície do sensor (ou no filtro de passagem baixa) e fica mais difícil de limpar.

No pior dos casos, dependendo do uso e armazenamento da câmera, a poeira e o óleo podem incentivar o crescimento de fungos / mofo dentro da sua câmera.

Para limpar o sensor da câmera fotográfica é necessário utilizar um tipo de “swab” como um palito ou cotonete com uma ponta especial.

Existem dois tipos de palitos de limpeza: um com a ponta grudenta e outro com a ponta macia, que é umedecido com produdo especial para limpeza.

E o que mais gostamos para a limpeza da nossa Nikon foi o com ponta grudenta, foi capaz de limpar óleo e poeira, sujeira molhada e seca.

Mas cuidado, porque o palito com ponta grudenta pode não ser compatível com todos os sensores! Antes de comprar pesquise a compatibilidade, pergunte ao vendedor. 

A nossa experiêcia com o Eyelead é que ele não é compatível com câmeras da Sony.

O palito com ponta macia, pode vir pré umedecido ou não. Nestes, o cuidado é para não umedecer muito ou não deixar que gotículas de umidade fiquem na superfície do sensor após a limpeza.

Com estes palitos de ponta macia é importante realizar o movimento em um único sentido, sem vai e vem, para não ficar espalhando óleo nem sujeira.

Se ficar gotículas no sensor, após a limpeza, elas vão secar e as fotos vão ficar manchadas novamente. Necessitando novamente de limpeza.

Os produtos abaixo são links patrocinados, e exemplificam estas opções de palitos grudentos ou macios. Não os testamos nem sabemos se funcionam bem. 

 

Por final, toda limpeza de sensor feita por pessoal não especializado fica por sua conta e risco.

Se você não estiver confortável ou não souber limpar o sensor, considere seriamente levar a sua câmera para limpeza por técnico especializado.


O que Não utilizar para limpar o sensor sujo

Nosso outro conselho é que um kit convencional de limpeza de lentes com soprador, atomizador e lenços não serve para limpar sensor.

Ou seja, se o seu sensor estiver sujo, não perca dinheiro ou tempo comprando um kit para limpeza de lentes.

Veja bem NÃO utilize um cotonete comum, com algodão na ponta! O algodão pode soltar fiapos e vão piorar ainda mais a situação, sujando o sensor.

Também NÃO utilize papel, nem papel toalha, nem higiênico, nenhum papel para limpar o sensor, pelo mesmo motivo: papel pode soltar pequenos pedaços e sujar o sensor.


Referências


Publicado originalmente em 26/06/2016. Última atualização em .

Visitado 9,521 vez(es), 2 visita(s) hoje